Morangos sem Açúcar: (14) As bases físicas e mentais do Sucesso, parte II: Projetar Poder

Ouvir em Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts ou Anchor

Olá e bem-vindos ao meu podcast e blog “Morangos sem Açúcar”, uma série sobre desenvolvimento pessoal, corpo, mente e bem-estar – pessoal e do planeta em que vivemos. O meu nome é Karlos K e gostaria imenso de ouvir a SUA opinião, comentários e experiências pessoais, através do email karlosk.books@gmail.com, no Instagram ou Facebook @karlosk.escritor ou no site www.karlosk.com/contacto.  

Como discutimos no episódio 13, há muito mais no Sucesso pessoal e profissional para além do esforço, trabalho e competências. Começamos a semana passada a explorar as bases físicas e mentais do sucesso pessoal e profissional, dividido em 3 episódios: Exercer Poder, Projetar Poder e Poder Interior

  1. o primeiro episódio foi sobre Crescimento Pessoal e como converter competências em ação, ou seja, como Exercer Poder (sobre o mundo);
  2. este segundo episódio é sobre Presença e como afirmar o poder sem o exercer, através da voz, expressões e postura corporal, e com isso ganhar influência, ou seja, como Projetar Poder (para as outras pessoas);
  3. o terceiro episódio será sobre Auto-afirmação, Auto-conhecimento e Auto-proteção, travando lutas com significado pessoal, preservando o nosso espaço pessoal e os nossos valores (descanso, diversão, saúde, família, amigos), evitando burn-out e ansiedade, ou seja, proteger um verdadeiro Poder Interior (para mim próprio)

Recursos:

Limitless, Jim Kwik

10% Happier, Dan Harris

Presence, Amy Cuddy

Ted Talks “Fake it until you become it”: https://www.ted.com/talks/amy_cuddy_your_body_language_may_shape_who_you_are?language=pt

Os líderes projetam poder. Não se trata de ter poder para depois o projetar, mas projetar poder em cada fase das nossas vidas pessoais e profissionais, independentemente de o ter de facto. Poder não é necessariamente hierárquico – é mostrar confiança, estar em controlo da situação, calma e uma determinação positiva para resolver problemas e avançar. Mesmo que interiormente estejamos a debater-nos com duvidas e medos, podemos melhorar globalmente a forma de enfrentar as dificuldades através de uma postura corporal expansiva, gestos e expressões calmas e confiantes.

No episódio anterior, vimos como é importante reunir competências, conhecimentos e “dar as horas” para nos prepararmos para os desafios. Exercer Poder decorre dessa atitude mental de crescimento pessoal, motivação para atingir os objetivos, métodos ou competências técnicas e vontade de transformar esses conhecimentos em ação – só assim podemos Exercer Poder.

Só que essas competências e capacidades são apenas um “potencial” de poder. Para ter efetivo poder de agir, temos que ser capazes de influenciar outros, convencê-los a confiar em nós. Na verdade, não é apenas aquilo que se diz – a forma como se diz vai determinar a leitura que os outros têm das nossas competências e capacidade de liderar. Para transformar potencial de poder em poder efetivo – e com isso ter sucesso em atingir os propósitos e objetivos definidos – é preciso Projetar Poder através da nossa atitude corporal, expressões e gestos. Vários estudos comportamentais demonstram sem margem de dúvidas que os ouvintes – numa apresentação, numa entrevista de emprego, mesmo em conversas sociais – formam opiniões não apenas com base naquilo que se diz. Ainda mais importante é a forma como se diz. Uma postura fechada, cabisbaixa, mole conduz a uma perceção de timidez, fraqueza e pouca confiança nas competências da pessoa, enquanto que uma postura aberta, expansiva e afirmativa inspira confiança.

Esta postura e presença ajuda-nos a manter uma projeção de poder mesmo quando internamente nos debatemos com dúvidas e fraquezas. Qualquer líder tem dias bons e dias maus, momentos de confiança e de fraqueza. Mas o sucesso é uma maratona, em que temos que ser excelentes em alguns momentos, mas não 100% do tempo – por vezes só é mesmo preciso apertar os dentes e continuar a correr, a fazer aquilo que temos que fazer, e projetar uma imagem de força mesmo que nem sempre corresponda ao que sentimos. Numa maratona não interessa que a mente por vezes queira desistir, desde que as pernas continuem a correr, um passo a seguir ao outro, tack, tack, tack. Isto significa focar no presente, no que tem que ser feito.

Amy Cuddy, psicossocióloga e professora da Harvard Business School, tem estudado como o comportamento não verbal influencia as pessoas. Numa análise de 185 apresentações de empreendedores a investidores de venture capital, o maior indicador de quais os empreendedores que recebem o financiamento não é o conteúdo da apresentação, mas os traços comportamentais: confiança, conforto e entusiasmo. Porquê? Porque os investidores, além da ideia propriamente dita, procuram empreendedores com a força e convicção para a implementar. A linguagem não verbal funciona como um indicador do compromisso, entusiasmo e quanto acredita de facto na ideia.    

Já agora, recomendo vivamente que vejam no Youtube a Ted Talk 2012 de Amy Cuddy, a segunda Ted Talk mais vista de sempre, sobre como a nossa linguagem corporal modela quem somos. Coloco o link nas Notas deste episódio.

Não se trata de “julgar as aparências”. Na verdade, é importante recolher informação de todas as fontes, e não apenas do que a outra pessoa diz. Em inquéritos sobre liderança, o que diferencia as pessoas classificadas como melhores líderes são características essencialmente ligadas à confiabilidade (comunicação, empatia, motivação) e não às competências técnicas. Quando interagimos com alguém, os nossos cérebros primatas estão antes de mais a avaliar se podemos confiar naquela pessoa, muito para além das suas competências técnicas.

Exercer Poder é sobre a capacidade e vontade de converter conhecimentos em ação. Projetar Poder é sobre inspirar confiabilidade, e por essa via influenciar os outros. O Sucesso em alcançar os nossos objetivos exige ambos.

Isto significa que, para além das competências e vontade, o sucesso exige desde o primeiro momento estar atento a esta postura corporal e gestual. Representar um papel de líder até se tornar um líder. Não podemos esperar até ter poder para começar a agir e projetar poder.

A forma como a postura corporal e gestos influenciam o poder e confiança é dupla:

  • Influencia a perceção que os outros têm de nós
  • Mas igualmente influencia a perceção que temos de nós próprios, e isso influencia a nossa atitude mental. Está demonstrado que a relação mente-corpo é bidirecional. Por exemplo, se colocarmos grupos de pessoas durante 2 minutos a fazer poses de poder (peito aberto, braços abertos, postura ereta, cabeça erguida) vs poses de fracasso (cabeça cabisbaixa, corpo mole) e depois pedirmos para avaliar fotografias de diversas cenas, o primeiro grupo dá respostas muito mais positivas, afirmativas e otimistas do que o segundo. O gesto de vitória (abrir os braços, levantar a cabeça) é universal e instintivo, mesmo cegos que nunca viram esse gesto o adotam.

Esta ligação entre poses de poder (Projetar Poder) e poder efetivo (Exercer Poder) é bidirecional. Em experiências do tipo “perdidos na selva”, as pessoas com maior expansividade e confiança tendem a ser escolhidos como líderes. Mas o que é mais curioso é que se o líder for imposto de fora ou pré-designado, mesmo as pessoas mais tímidas e introvertidas, quando são colocadas em posições de poder, começam a mostrar comportamentos e posturas de poder. Ou seja, ter poder leva a projetar poder e projetar poder leva a ter poder.

A relação bidirecional corpo-mente não é apenas uma “perceção”, mas muito real e influencia coisas tão concretas como os níveis de testosterona e cortisol no corpo. Os líderes tendem a ter níveis mais altos de testosterona, uma hormona associada a agressividade e vontade de poder, e níveis menores de cortisol, um neurotransmissor associado ao stress e ansiedade. Ou seja, os líderes tendem a mostrar sinais de força e domínio e menos sinais de receio – o que é crucial para lidar com o perigo ou a incerteza. O que é mais curioso é que após alguns dias ou semanas em posições de poder, os níveis de testosterona tendem a aumentar e de cortisol a diminuir: quando uma pessoa tem poder, tende a sentir-se em controlo e isso reduz o stress e aumenta a assertividade.  

Para Projetar Poder é preciso conseguir estar Presente. E a boa notícia é que, através de pequenos truques, ajustamento da postura corporal, assumir poses de poder antes e durante os momentos importantes, podemos de facto influenciar a nossa forma de estar Presente.

Assim, antes de uma reunião importante, pare uns minutos para respirar fundo, abrir o peito e levantar os braços em posição de vitória. E durante a reunião, lembre-se de manter uma posição erguida, aberta, forte – mesmo que não diga nada. Quando entrar numa sala de networking, levante a cabeça como se quisesse tocar no teto e mantenha os pés bem firmes, em equilíbrio, sem se encostar a uma parede ou coluna.

O sentimento de impotência consome toda a nossa energia e motivação, contamina de negatividade aquilo em que acreditamos, sabemos e sentimos. Torna-nos invisíveis. Quando nos sentimos impotentes, queremos ser invisíveis e acabamos por adotar posturas corporais em que literalmente nos tentamos “enfiar no buraco”.

Mas cuidado… não exagere! O cérebro humano é extraordinário a detetar falsificação, afastando tudo o que parece excessivo como um sinal de manipulação. Afinal, avaliar a confiabilidade da pessoa com quem interagimos é uma competência de sobrevivência crucial no processo evolutivo. É relativamente fácil controlar as palavras, mas muito mais difícil controlar as expressões faciais ou gestos. Quando estamos de facto confiantes e entusiasmados, a amplitude de timbre de voz e movimentos é muito maior.

Podemos e devemos não ter medo de exprimir as nossas convicções, estar presente com força e confiança, mas não vale a pena tentar ser o que não somos ou adotar frases feitas – agir em função do que achamos que os outros esperam de nós apenas leva a perdermos mais tempo a gerir conflitos entre o que somos e o que achamos que devíamos ser, em vez de estar 100% Presentes a dar o melhor. Afinal, uma fotocópia nunca é tão boa como o original.

Então, o que é esta postura corporal de Projetar Poder, para evitar que seja uma mera representação e falsificação? Voltamos ao conceito de Presença: estar totalmente envolvidos no momento presente, trazendo o nosso melhor para aquilo que decidimos fazer em cada momento. É difícil definir Presença, nesta perspetiva de Projetar Poder, mas podemos definir o que não é:

  • Não é tentar adivinhar o que os outros esperam de nós ou ser a fotocópia de uma imagem idealizada
  • Não é perder-nos em sentimentos de impotência e tentar ficar invisíveis
  • Não é stressar ou render à angústia e ansiedade do que possa ser o resultado final
  • Não é ficar preso num loop de pensamentos sobre o que devíamos ter feito 5 minutos antes ou o que gostaríamos de fazer 5 minutos depois

Estas preocupações criam um cocktail tóxico de derrotismo. A Presença que permite Projetar Poder de forma natural e convincente é baseada na confiança e entusiasmo em vez de receio e ansiedade.

Um outro mito sobre Projetar Poder é que só os extrovertidos o conseguem. Não é verdade. Projetar Poder resulta de estar Presente e isso não tem nada a ver com extroversão. Pelo contrário, num mundo tão repleto de ruído e opiniões, os introvertidos podem ter muitas qualidades que beneficiam a liderança: capacidade de permanecer focados por longos períodos de tempo, maior imunidade a distorções de perceção ou ideias pre-concebidas, menor dependência de aprovação externa e maior capacidade para observar, ouvir e sintetizar.   

Presença não se conquista de forma definitiva. Há sempre novos desafios, novos papéis, novas situações desconfortáveis. Não adianta tentar resolver os problemas para sempre e parar o mundo… Os desafios enfrentam-se em cada momento, no presente. A Presença é um exercício constante e permanente de projetar poder. De mostrar confiança sem arrogância.

Podem-me enviar sugestões de pessoas para entrevistar para karlosk.books@gmail.com ou no site www.karlosk.com/contacto

Este blog e podcast é uma experiência pessoal de descoberta. Quem quiser, é bem-vindo a juntar-se. Não esqueça de subscrever o blog e o podcast e recomendar a amigas e amigos. Podem ver mais informação sobre mim e as minhas publicações no site www.karlosk.com, subscrever o blog e ver o link para o podcast nas várias plataformas.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: